1464656_643992235660948_93473005_n.jpg

Ao morrer meu amigo

algo de mim que já era ele se foi.

Algo de mim ressuscitou nele.

Algo dele que ainda sou eu

ficou.

Algo dele espera em mim por ressurreição.

O tempo ao passar parece devorar

todo o amor.

Mas quanto mais afasta

no passado minha recordação,

mais se aproxima

ao encontro sem distância do futuro.

               Ainda que em mim cada dia tenha

sua poda, sua espera e sua colheita,

para ele já toda a história se cumpriu

eu cheguei com ele,

e ali estou. 

Obrigado, Senhor. 

Benjamin Gonzalez Buelta sj